Como cumprir as promessas que fazemos a nós mesmos em 2018?

 

Psicóloga orienta a fazer planejamento com metas e objetivos

 

Você já fez o seu planejamento para 2018? Segundo a psicóloga e professora Gisela Chicralla, mestre em Sistema de Gestão pela Universidade Federal Fluminense, as metas são o caminho para alcançarmos os nossos objetivos. Mas, antes de começar a fazer uma nova lista de desejos, de acordo com a psicóloga, é preciso fazer um balanço das pendências deixadas para trás.

 

Conforme a psicóloga, as metas são alcançadas a curto prazo e os objetivos são atingidos a longo prazo:

 

- O seu planejamento tem que ser revisto constantemente, caso contrário esquecemos o que tínhamos colocado como metas para alcançar o nosso objetivo. Temos que ter cuidado com os imprevistos que podem acontecer ao longo dos dias, quando nos damos conta, a semana passou e não conseguimos concluir o nosso planejamento semanal. E como se motivar para começar o ano bem? Pare de se lamentar. A dica também é da psicóloga Gisela Chicralla.

 

Segundo a especialista, pessoas que se lamentam constantemente tendem a cair na síndrome da acomodação.

 

- Pense no que você pode fazer de melhor para dar a volta por cima e persista mesmo diante das dificuldades - orienta a psicóloga.

 

Gisela Chicralla apresenta palestras, realiza treinamentos sobre como falar bem em público, trabalha com desenvolvimento de lideranças, comportamento no trabalho, e ensina outras habilidades, entre elas, técnicas de atendimento para clientes.

 

Todos esses temas ajudam o público a entender os requisitos necessários para ser um profissional mais produtivo e bem preparado.

mensagem gisela chicralla ano novo.jpg
mensagem gisela chicralla natal site.jpg

Os 10 mandamentos para se aprimorar profissionalmente

 

Mercado de trabalho exige profissional mais bem preparado

 

Em tempos de economia em crise e o mercado de trabalho cada vez mais exigente, o profissional precisa se qualificar e buscar um diferencial. Pensando nisso, a psicóloga e professora, mestre em Sistema de Gestão pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Gisela Chicralla, listou os 10 mandamentos para se aprimorar profissionalmente.

 

Gisela apresenta palestras, dá treinamentos sobre como falar em público, trabalha com desenvolvimento de lideranças, comportamento no trabalho, e ensina outras habilidades, entre elas, técnicas de atendimento ao cliente. Todos esses temas ajudam o público entender os requisitos necessários para ser um profissional mais produtivo e bem preparado. Confira que atitudes você deve tomar!

 

Os 10 mandamentos para se aprimorar profissionalmente

 

1 – Tenha gratidão pela vida e agradeça por ter a oportunidade de recomeçar um novo dia.

2 – Suas derrotas e fracassos são apenas trampolins para a sua vitória.

3- Tenha consciência do seu estado emocional, porque ninguém precisa aguentar o seu mau humor.

4 – Não haja por impulso, você pode colocar tudo a perder.

5 – Coloque-se no lugar do outro, pois esta situação um dia pode acontecer com você.

6 – Aprenda a lidar com suas emoções e ajude a melhorar o dia de uma pessoa.

7- Tenha coragem para dizer quando não sabe um assunto e humildade para aprender.

8- Respeito, ética e educação deveriam fazer parte do DNA da humanidade.

9- Compartilhar conhecimentos, ideias e experiências contribuem para o desenvolvimento do mundo.

10- O único responsável pelas nossas escolhas e ações somos nós mesmos.

Professora Gisela Chicralla recebe diploma de professor destaque

 

A psicóloga é professora da Universidade Estácio de Sá

 

A professora e psicóloga Gisela Chicralla, mestre em Sistema de Gestão pela Universidade Federal Fluminense, conquistou o terceiro lugar na Adesão ao Modelo de Ensino da Universidade Estácio de Sá do Campus João Uchôa neste mês de outubro.  A entrega do diploma foi feita pelo diretor do campus, José Luís Laranjo, durante uma confraternização em homenagem ao Dia dos Professores. Este campus da universidade conta com cerca de 200 docentes.

 

- Foi neste mesmo campus que fiz a minha graduação em psicologia há alguns anos atrás. E, hoje, receber uma homenagem por estar dentro dos critérios de avaliação de uma universidade deste porte foi muito gratificante.  Ver o reconhecimento do meu trabalho, que faço com amor, foi um incentivo para cada vez mais me aprimorar na educação.  Fiquei bastante feliz e emocionada – disse Gisela.

 

Evite gafes e problemas no trabalho com regras de etiquetas

 

Palestrante mostra como é fundamental saber se comportar no mundo coorporativo

 

A gafe de um parlamentar flagrado trocando mensagens pessoais com uma mulher durante uma importante votação na Câmara chamou a atenção de todo país. O deputadousava a rede social indiscriminadamente no ambiente de trabalho enquanto a discussão política era transmitida ao vivo para todo o Brasil. Esse tipo de comportamento poderia ter sido evitado caso o deputado tivesse seguido algumas regras de etiquetas. A psicóloga e professora, mestre em Sistema de Gestão pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Gisela Chicralla, ministra a palestra Comportamento no Trabalho: Etiqueta e Imagem Pessoal para que as pessoas possam se adequar no mundo corporativo.

 

O tema abordado na palestra mostra como é fundamental saber se comportar para quem está no mercado ou pretende voltar. São debatidos assuntos que vão desde a roupa que se veste ao linguajar usado dentro das organizações. A palestrante mostra, por exemplo, como agir quando o funcionário encontra algum diretor dentro do elevador. Nessas situações há pessoas que nem chegam entrar por vergonha. O público aprende que é preciso “vender” a sua imagem de forma positiva, a importância de ser visto, reconhecido, ter o cuidado de como acessar e se comportar nas redes sociais.

 

- Usar o celular tornou-se um vício nos dias atuais. As pessoas não conseguem ficar sem mexer no seu aparelho e acabam usando em situações que deveriam ser evitadas como, por exemplo, nas reuniões de trabalho ou diante dos clientes. Se a sua função não exige estar conectado o tempo todo, é necessário deixar de lado este hábito – explica Gisela.

 

De acordo com a psicóloga, apesar do avanço das novas tecnologias e as mudanças do mundo moderno, as boas maneiras ainda ajudam a pessoa a construir sua imagem pessoal de forma positiva. No mundo corporativo, o marketing pessoal pode ajudar as pessoas que querem deslanchar suas carreiras. Segundo a especialista, tudo é observado, desde a postura, a entonação de voz até a maneira de se comportar.

 

- Os profissionais precisam ter o cuidado com o que fala e com quem fala no trabalho. Não podemos mostrar a nossa insatisfação para os clientes internos e externos. Além de não ser elegante falar mal da empresa aonde trabalhamos, é fundamental que as pessoas se tratarem com respeito. Existe um ditado que fala: ”temos que tratar bem os nossos estagiários porque um dia eles poderão ser o seu chefe”. Caso contrário, essas atitudes não vão contribuir para uma carreira de sucesso.

 

Gisela Chicralla apresenta palestras, realiza treinamentos sobre como falar bem em público, trabalha com desenvolvimento de lideranças, comportamento no trabalho, e ensina outras habilidades, entre elas, técnicas de atendimento para clientes. Todos esses temas ajudam o público entender os requisitos necessários para ser um profissional mais produtivo e bem preparado.

Especialista alerta sobre os cuidados com a saúde mental no ambiente corporativo

 

 

Colaborador acaba entrando em um processo solitário até ser afastado

 

 

A programadora Madalyn Parker compartilhou em uma rede social uma conversa entre ela e o CEO da empresa em que trabalha nos Estados Unidos. O diálogo da profissional, que sofre de depressão crônica e ansiedade, com o executivo viralizou na internet e levantou a discussão sobre a saúde mental. No e-mail, Madalyn dizia para sua equipe que precisaria se ausentar por dois dias para tratar do problema. De acordo com a professora e psicóloga Gisela Chicralla, mestre em Sistema de Gestão pela Universidade Federal Fluminense, pesquisas mostram que a doença mental que mais tem aumentado nos últimos anos é a depressão. Conforme Gisela, os efeitos da doença começam aparecer nas tarefas do dia a dia no ambiente corporativo.

 

- Os próprios gestores não se dão conta quando estas situações começam acontecer – alerta Gisela apontando alguns dos sinais de alerta: - Eles acham que o colaborador está trabalhando mais vagarosamente por preguiça,  ou quando cometem mais erros que o habitual é porque está distraído e só pensando em assuntos que não dizem respeito à empresa, ou quando têm dificuldade de concentração e não param em sua mesa de trabalho é porque não querem trabalhar.

 

Ainda segundo a psicóloga, por parte dos gestores, há falta de conhecimento e preparo em saber lidar com a situação e, até mesmo, reconhecer que o seu funcionário está precisando de ajuda. Do outro lado, Gisela lembra que o empregado, por medo de perder o trabalho, não fala nada com o seu gestor.  

 

- Se o funcionário já está fazendo tratamento com psicólogo ou psiquiatra, não comenta nada com ninguém, não diz que está precisando sair mais cedo ou entrar mais tarde para se tratar, justamente por medo de ser demitido, ou ficar rotulado de “doido”.  O colaborador acaba entrando em um processo solitário até ser afastado do trabalho.

 

No caso de Madalyn, que viralizou nas redes sociais, o CEO da companhia, Ben Congleton, respondeu a funcionária: “Oi, Madalyn. Eu só queria pessoalmente agradecer a você por enviar mensagens como essas a sua equipe”. A posição do CEO foi bem recebida na internet.

 

 

A professora e psicóloga, Gisela Chicralla, discute a questão que foi alvo de polêmica nas redes sociais na palestra Saúde Mental e Trabalho: aspectos relacionados. O ouvinte é conscientizado sobre a importância de cuidar da sua própria saúde mental. Gisela faz o profissional refletir sobre o cenário atual onde há muitas pessoas ansiosas e fazendo quadro depressivo e com transtornos de ansiedade por medo de ficarem desempregadas.

 

Durante a palestra, Gisela aponta que muitos colaboradores têm medo de falarem que estão doentes e serem mal vistos. A psicóloga mostra que cuidar da própria saúde envolve profissionais especializados como psicólogos clínicos e psiquiatras. A palestrante diz que o ouvinte precisa se gerenciar e saber até que ponto pode ir e buscar ajuda sempre que for necessário de um especialista.

- No momento em que a pessoa cuida da sua saúde, ela trabalha e produz muito melhor - sintetiza Gisela.